Ano 15

Nádia Destro

*01 de junho de 1958 - São Paulo - SP

Cena de Corpo devasso, 1980, Alfredo Sternheim
Cena de Corpo devasso, 1980, Alfredo Sternheim
Nádia Destro atuou em 13 filmes na Boca do Lixo, e se destacou em produções do cineasta Alfredo Sterheim.

Nádia Destro começou a carreira artística como modelo fotográfico. Mas é no cinema que vai se eternizar. A estreia se dá no final dos anos 1970, década de ouro da produção cinematográfica da Boca do Lixo, em São Paulo. Três de seus filmes são realizados nesse período, em que atua sob a batuta dos mestres Antonio Meliande – em Damas do prazer (1978), Ary Fernandes – em Sexo selvagem, e José Mojica Marins – em Estupro. A maior parte de seus filmes é dos anos 80, época mais complicada da Boca, já que logo as produções vão abrir espaço para o sexo explícito. A atriz marca presença nos trabalhos antes dessa nova fase, e consegue atuar em filmes importantes e dirigidos pelos maiores nomes do espaço. A comédia safada de Fauzi Mansur, O inseto do amor (1980), reúne deusas quase que por fotograma, e a atriz é uma delas. No mesmo ano, atua em Império das Taras, de José Adalto Cardoso, Bacanal, de Antonio Meliande, e no cult A Prisão, de Osvaldo de Oliveira, um dos filmes mais marcantes da época, que depois circulará em vídeo por vários países. O início da década de 80 marca as últimas produções em que Nádia Destro atua. Ele marcará o encontro entre a musa e o cineasta Alfredo Sternheim, que vai reservar duas personagens importantes para a atriz, em Corpo devasso (1980), e em Violência na carne (1981). 

Corpo Devasso é o ousado filme de Sternheim produzido e protagonizado por David Cardoso, um trabalhador rural que foge do interior e acaba se prostituindo em São Paulo, onde é sustentado por mulheres e faz grana em transas gays. Nádia Destro é Silvia, a filha de uma possessiva advogada, interpretada por Meire Vieira, que vai disputar com a mãe o desejado empregado.  Em Violência da carne ela é uma atriz de um grupo de teatro que é feita refém por bandidos foragidos. Ela e sua namorada, interpretada por Sonia Garcia, são vítimas do sadismo do bando, em filme que conta também no elenco com as musas  Helena Ramos e Neide Ribeiro. Antes de abandonar o cinema com a chegada do explícito, como muitas musas fizeram, ela será dirigida ainda pelos bambas José Miziara - em Como faturar a mulher do próximo (1981), Carlos Reichenbach – no belíssimo O império do desejo (1981), e John Doo - em Ninfas insaciáveis (1981).


Filmografia

Damas do prazer, 1978, Antonio Meliande
Sexo selvagem, 1979, Ary Fernandes
Estupro, 1979, José Mojica Marins
O inseto do amor, 1980, Fauzi Mansur
Império das taras, 1980, José Adalto Cardoso
Bacanal, 1980, Antonio Meliande
A prisão, 1980, Osvaldo de Oliveira
Corpo devasso, 1980, Alfredo Sternheim
Violência na carne, 1981, Alfredo Sternheim
Como faturar a mulher do próximo, 1981, José Miziara
O império do desejo, 1981, Carlos Reichenbach
Ninfas insaciáveis, 1981, John Doo

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.