Ano 15

Yara Lins

*26 de fevereiro de 1930, +28 de junho de 2004 - *Frutal - MG

Cena de Geração em fuga, 1973, Maurício Nabuco
Cena de Geração em fuga, 1973, Maurício Nabuco
Veterana atriz, Yara Lins brilhou no rádio, no teatro, na televisão e no cinema.

Yara Lins começou a carreira no rádio, primeiro em Minas Gerais e depois em São Paulo, como atriz de radionovelas, grande sucesso da época antes do advento da televisão na década de 1950. Com a instalação da TV no Brasil, ela se torna pioneira do veículo e faz história ao gravar o prefixo da PRF-3, anunciando o lançamento do veículo. A atriz participa de programas e da TV de Vanguarda, e atua em várias novelas, desde a década de 50 até 2000, passando por diversas emissoras. Simplesmente Maria (1970/71), Vitória Bonelli (1972/73) e Ídolo de pano (1974/75), na Tupi; O Sheik de Agadir (1966/67), Pai herói (1979), Selva de pedra (1986) e Laços de família (2000) na Globo, são alguns de seus trabalhos. A estreia no cinema se dá em 1963 em Terra sem Deus, o engajado socialmente e último filme dirigido pelo grande José Carlos Burle. Com atuação intensa na TV, a atriz só volta ao cinema 10 anos depois em Geração em fuga (1973), de Maurício Nabuco, em que é a protagonista ao lado de Suzana Gonçalves e Edgar Franco. No filme ela é Bia, uma mulher rica e amoral que vive um triângulo amoroso com seu amante Bebeto (Edgar Franco) e a própria filha Suzana (Suzana Gonçalves).

Yara Lins dá sequência à carreira no cinema atuando em filmes dirigidos pelo cineasta e novelista Geraldo Vietri, com quem atua em novelas na Tupi. Em Senhora (1976), é Emília Camargo, a mãe de Aurélia Camargo, a amarga e vingativa protagonista interpretada por Elaine Cristina, em filme adaptado de romance homônimo de José de Alencar. O filme seguinte com Vietri é Tiradentes, o mártir da independência (1977), sobre o líder da Inconfidência Mineira. Em 1978, a atriz encontra o cinema popular de Mazzaropi e faz sucesso em Jeca e seu filho preto (1978), dirigido por Pio Zamuner e Berilo Faccio. Yara Lins é uma das protagonistas de P.S.: pos scriptum (1981), de Romain Lesage, em que vive Dulce, mulher que adota vida promíscua para se vingar do marido.  Por fim, atua em filme veículo para a apresentadora Xuxa Meneghel em Xuxa requebra (1999), dirigido por Tizuka Yamasaki.


Filmografia

Terra sem Deus, 1963, José Carlos Burle
Geração em fuga, 1973, Maurício Nabuco
Senhora, 1976, Geraldo Vietri
Tiradentes, o mártir da Independência, 1977, Geraldo Vietri
Jeca e seu filho preto, 1978, Pio Zamuner e Berilo Faccio
P.S.: pos scriptum, 1981, Romain Lesage
Xuxa requebra, 1999, Tizuka Yamasaki

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.