Ano 15

Gracia Morena

*19 de julho de 1908 - *Gênova - Itália

Crédito: Quase Catálogo 3 - Estrelas do Cinema Mudo Brasil 1908 - 1930 - Arquivo Cinédia
Crédito: Quase Catálogo 3 - Estrelas do Cinema Mudo Brasil 1908 - 1930 - Arquivo Cinédia
Gracia Morena é a estrela de Barro Humano.

Gracia Morena é mais uma musa do cinema mudo brasileiro originária de outro país. Nascida na Itália, filha de pai paranaense e mãe espanhola, veio para o Brasil na infância. Segundo registro na publicação Quase Catálogo 3  Estrelas do Cinema Mudo Brasil 1908 – 1930, organizado por Heloísa Buarque de Hollanda, sua formação ocorreu toda aqui e desde cedo revelou talento para o desenho, fazendo, mais tarde, desenhos para capas das principais revistas do Rio de Janeiro. E foi um autorretrato assinado por ela que carimbou seu passaporte para o cinema, já que o cineasta, produtor e jornalista Adhemar Gonzaga se encantou por ela. Como se sabe, Gonzaga era diretor da Revista Cinearte, importante publicação da época, e que depois viria a criar a Cinédia, estúdio cinematográfico fundado em 15 de março de 1930 no Rio. Adhemar Gonzaga a convidou para ser a estrela de seu primeiro longa, o clássico Barro humano (1929).

No longa, Gracia Morena é Vera, jovem que perdera o pai e que a partir daí tem que sustentar a mãe e a irmã. Ela arruma emprego no centro, e é lá que vai conhecer Mário (Carlos Modesto), um jovem rico, e os dois se apaixonam. Grande sucesso na época, o filme confirmou o multitalento de Gonzaga, que atua em várias frentes. E fez de Gracia Morena uma estrela, e musa do cinema brasileiro da década de 1920. (Há no IMDB o registro de um curta chamado Crazy and magician, de 1927, dirigido por William Shocair, e que teria Gracia Moreno no elenco, mas esses dados não foram confirmados na pesquisa do site).


Filmografia

Barro humano, 1929, Adhemar Gonzaga

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.