Ano 15

Letícia Friedrich

*30 de setembro de 1984 - *Santa Maria - RS

Crédito: Ana Rovati
Crédito: Ana Rovati
Letícia Friedrich nasceu em 30 de setembro de 1984 em Santa Maria (RS).
 
Graduada em Comunicação Social com habilitação em Cinema e Vídeo, pela Universidade do Sul de Santa Catarina – Unisul, em 2006 faz pós-graduação em Barcelona em Direção de Produção pela Escola Superior de Cinema i Audiovisuals da Catalunya – ESCAC/Espanha, e em Gestão e Produção Cultural pela FGV/RJ.

Os trabalhos na área de produção de audiovisual começam no Sul, já na época da faculdade. Em 2002, atua como assistente de produção do FAM - Florianópolis Audiovisual Mercosul, festival de cinema que se realiza na cidade de Florianópolis.
 
O primeiro curta foi feito na turma da faculdade, quando assume o cargo de diretora de produção e a partir dali continua sempre na área de produção. Por causa do Papai Noel, Jazz e Eu passarinho são alguns curtas dessa época. Dirige o curta Árvore solitária.. Produz Verdades e ruínas, e faz assistência de direção em Peur Et Abandon. Produz, em sua terra natal, Caxias do Sul, uma série de seis curtas e dois videoclipes, um deles O sapateiro,curta do Jorge de Jesus, e Um dia na vida

Foi diretora de Produção do Núcleo de Produção Audiovisual de Flores da Cunha-NPAV (órgão criado por meio do programa de cooperação europeu URBAL-EuropeAid), no qual coordenou a produção da série de documentários Vindima da Imagem, que foi exibida no interior do Rio Grande do Sul e no Festival de Gramado. São 11 curtas-metragens, documentários que relatam costumes locais que vieram por meio da tradição italiana. Produz a série e dirige, com Marcelo Mugnol, o documentário A matança do porco.

Em 2008, trabalha no primeiro longa, em Porto Alegre, Quase um Tango, de Sérgio Silva, em que atua como assistente de produção. Também em 2008, integra a equipe de produção em Florianópolis das filmagens de cenas do longa A luz do Tom, sobre Tom Jobim, de Nelson Pereira do Santos. No mesmo ano, muda-se para o Rio de Janeiro, onde depois volta a trabalhar junto à produção de A luz do Tom, e se radica na cidade.

Esteve à frente da produção dos projetos de preservação da Revista Filme Cultura e da Coleção Histórica de DVDs INCE/INC no CTAV/SAV/MinC. 

Atuou como coordenadora de Projetos da Associação Brasileira de Produtoras Independentes de Televisão – ABPITV. 

É sócia diretora e produtora executiva da Boulevard Filmes.

Veja também sobre ela
::Voltar
Sala 
 Carmen Santos
Pioneira no cinema: atriz, cineasta, produtora, roteirista e dona de estúdio.