Ano 15

Joana Mariani

*1975 - *Londres - Inglaterra


A produtora e diretora Joana Mariani nasceu em Londres, em 1975, mas foi criada no Rio de Janeiro, mudando-se depois para São Paulo.

O início da trajetória foi na publicidade. Já no cinema, começa em grande estilo como produtora do sucesso independente O cheiro do ralo (2006), de Heitor Dhalia.

Protagonizado por Selton Mello, o filme projeta o cineasta e também a produtora, que junto com o primo Matias Mariani funda a Primo Filmes.

O cheiro do ralo recebeu no Festival do Rio o prêmio de Melhor Ator, Prêmio da Crítica e o Especial do Júri. Já na Mostra Internacional de São Paulo arrebatou o prêmio de Melhor Filme e o Prêmio da Crítica – foi exibido também no Festival de Sundance, nos Estados Unidos.

As produções seguintes são dois documentários: Fabricando Tom Zé (2007), de Décio Matos Jr.; e Elevado 3.5 (2007), de João Sodré, Maíra Bühler e Paulo Pastorelo.

Novamente, as produções conquistam prêmios importantes: Fabricando Tom Zé - Prêmio de Melhor Documentário da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo de 2007, e Prêmio de Público no Festival do Rio de 2007. Já Elevado 3.5 venceu o Festival É tudo Verdade 2007.

Trinta (2013), filme sobre o carnavalesco Joãozinho Trinta dirigido por Paulo Macline, é mais uma produção assinada por Mariani.

Joana Mariani estreou como cineasta com o curta Cotidiano (2007), filme protagonizado por Carla Ribas e William Bil, exibido no Festival Internacional de Curtas de São Paulo, em 2008.

Em 2011 dirige o curta O cavalo (2011), a história de um catador de papel que sonha em ter o animal para puxar sua carroça. O filme tem no elenco Milhem Cortaz, Francisco Gaspar e Carla Ribas. 

Depois produz e dirige o curta Marias.

Joana Mariani atuou também como assistente de direção em À deriva (2009), de Heitor Dhalia, e em A montanha (2011), de Vicente Ferraz.

A Primo Filmes assinou ainda a produção Rio Sex Comedy, de Jonathan Nossiter, À deriva, de Heitor Dhalia, Hoje (2011), de Tata Amaral, Fio de ovos (2011), de Maíra Bühler e Matias Mariani. 

Para a televisão, produziu em 2009 as séries No estranho planeta dos seres audiovisuais, de Cao Hamburger, exibida no Canal Futura; Trago comigo, de Tata Amaral, para a TV Cultura.

Produziu também para a TV as séries Conexão direta, em 2010, e Conversa de salão, em 2011, ambas para o GNT, além do documentário Tucupi a Francesa, exibido na TV Cultura.

Toqueiro, de Paulo Pastorelo, e Ela sonhou que eu morri, de Matias Mariani e Maíra Bühler, que estreou no Festival de Paulinia de 2011 e levou o prêmio de melhor direção de documentário, são outros lançamentos da Primo.

::Voltar
Sala 
 Ana Carolina
Cineasta de assinatura personalíssima e de filmografia inquietante.
Sala 
 Carmen Santos
Pioneira no cinema: atriz, cineasta, produtora, roteirista e dona de estúdio.