Ano 15

Zeni Pereira

*09 de novembro de 1924, +21 de março de 2002 - Salvador - BA

Cena de Quando o carnaval chegar, 1972, Carlos Diegues
Cena de Quando o carnaval chegar, 1972, Carlos Diegues
Zeni Pereira começa a carreira no teatro. Integra o TEN – Teatro Experimental do Negro, criado por Abdias do Nascimento, marco importante de conquista dos atores negros e da cultura brasileira, e que revelou grandes atrizes como Ruth de Souza e Léa Garcia – a Tia Zefa de Aruanda (1948), com direção de Abdias, e a Clio de Orfeu da Conceição (1956), direção de Léo Juzi, são alguns de seus trabalhos. Com o advento da televisão, a atriz logo integra o elenco das emissoras e se torna uma das primeiras Tia Anastácia, ao lado de Benedita Rodrigues, em O sítio do pica pau amarelo, adaptado da obra de Monteiro Lobato e exibido na TV Tupi de 1952 a 1962 – quem fazia o seriado em São Paulo era Benedita, Zeni fez no Rio de Janeiro durante dois meses. A partir daí, inicia bem-sucedida trajetória em novelas, que começa em O doce mundo de Guida (1969), de Aparecida Menezes, ainda na Tupi, indo depois para a Globo, na qual tem grandes momentos, sobretudo como Januária no marco internacional Escrava Isaura (1977) – outro ótimo momento com Gilberto Braga é como Zezé de Vale tudo (1988/89), coescrita com Aguinaldo Silva e Leonor Basséres. É na primeira fase de sua carreira, que a atriz estreia no cinema, em Orfeu do carnaval (1959), dirigida por Marcel Camus, Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

Zeni Pereira constrói extensa carreira no cinema, passando pelas chanchadas, como Samba em Brasília (1960), de Watson Macedo, e o cinema popular da década de 1970 no Rio de Janeiro, com Pais quadrados... filhos avançados (1970), de J.B. Tanko, Um marido sem... é como um jardim sem flores (1972), de Alberto Pieralisi, e O pica pau amarelo (1973), de Geraldo Sarno, em que volta a interpretar Tia Anastácia – a atriz tem bela cena em Quando o carnaval chegar (1972), de Carlos Diegues, quando recebe no morro o filho, interpretado por Antônio Pitanga. É a Tia Jurema em O trapalhão na ilha do tesouro (1975), de J.B. Tanko, cineasta com o qual atua em muitos filmes. Zeni Pereira tem ótimo momento na Boca do Lixo, em São Paulo, como Denise , a protetora na prisão da protagonista Ângela, interpretada por Suzane Carvalho, em Fêmeas em fuga (1984), dirigido por Michele Massimo Tarantini.


Filmografia

Orfeu do carnaval, 1959, Marcel Camus
Samba em Brasília, 1960, Watson Macedo
Teus olhos castanhos, 1961, Ibanez Filho
Um morto ao telefone, 1963, Watson Macedo
Samba, 1965, Rafael Gil
Jovens pra frente, 1968, Alcino Diniz
Pais quadrados... filhos avançados, 1970, J.B. Tanko
Como ganhar na loteria sem perder a esportiva, 1971, J.B. Tanko
Rua descalça, 1971, J.B. Tanko
Quando o carnaval chegar, 1972, Carlos Diegues
Som, amor e curtição, 1972, J.B. Tanko
Um marido sem... é como um jardim sem flores, 1972, Alberto Pieralisi
O pica pau amarelo, 1973, Geraldo Sarno
Salve-se quem puder, 1972, J.B. Tanko
O comprador de fazendas, 1974, Alberto Pieralisi
O trapalhão na ilha do tesouro, 1975, J.B. Tanko
Uma aventura na floresta encantada, 1977, Mario Latini
Os pastores da noite, 1977, Marcelo Camus
Gabriela, cravo e canela, 1983, Bruno Barreto
Feitiço do Rio, 1984, Stanley Donen
Fêmeas em fuga, 1984, Michele Massimo Tarantini
Running outo of Luck, 1987, Julien Temple
Brasa Adormecida, 1986, Djalma Limongi Batista


::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.