Ano 15

Carmem Palhares

*1936, +1999 - Porto Alegre - RS

Cena de O cortiço, 1978, Francisco Ramalho Jr
Cena de O cortiço, 1978, Francisco Ramalho Jr
Carmem Palhares é dona Marciana em O cortiço.

Carmem Palhares começou a carreira artística no teatro amador em Porto Alegre, onde também atua no rádio – Do mundo nada se leva é um dos espetáculos em que atua no sul. Depois, muda-se para o Rio de Janeiro e dá sequência à carreira nos palcos, em espetáculos como Os sete gatinhos , de Nelson Rodrigues, como a Gorda, matriarca da família que movimento a trama, e em Flávia, cabeça, tronco e membros, dirigida por Luiz Carlos Maciel, ao lado de Nicette Bruno e Paulo Goulart. Ainda no teatro, produz espetáculos infantis. Comediante, atua também na televisão em programas humorísticos, como Os Trapalhões, e interpreta Joana das Folhas na minissérie Teresa Batista, de Vicente Sesso, exibida na Globo em 1993, uma adaptação do romance de Jorge Amado. A atriz estreia no cinema em Vagabundos no society (1962), dirigido pelo veterano Luiz de Barros. Em seu segundo filme, atua no grande clássico Macunaíma (1969), uma adaptação do romance de Mário de Andrade, dirigida por Joaquim Pedro de Andrade.

Carmem Palhares interpreta uma das mulheres de Grande Otelo em O Barão Otelo no barato dos bilhões (1971), de Miguel Borges. Já em O cortiço (1978), de Francisco Ramalho Jr., tem destaque como dona Marciana, uma dos moradores do cortiço de João Romão, como a lavadeira cuja filha solteira se engravida. Carmen Palhares atua também em filmes dos Trapalhões: O cangaceiro trapalhão (1983), em que interpreta a mulher do delegado, e em Os Trapalhões e o mágico de Oróz (1984).


Filmografia

Vagabundos no society, 1962, Luiz de Barros
Macunaíma, 1969, Joaquim Pedro de Andrade
O Barão Otelo no barato dos bilhões, 1971, Miguel Borges
O cortiço, 1978, Francisco Ramalho Jr.
J.S. Brown, o último herói, 1978, José Frazão
Os três palhaços e o menino, 1982, Milton Alencar Jr.
O cangaceiro trapalhão, 1983, Daniel Filho
Os trapalhões e o mágico de Oróz, 1984, Dedé Santana

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.