Ano 15

Antonia Denegri

*1900, +04 de novembro de 1935 - *Califórnia - Estados Unidos

Crédito: Revista Selecta - Quase Catálogo 3 – Estrelas do Cinema Mudo Brasil 1908-1930
Crédito: Revista Selecta - Quase Catálogo 3 – Estrelas do Cinema Mudo Brasil 1908-1930
Antonia Denegri é uma das musas do cinema mudo brasileiro.

Antonia Denegri nasceu nos Estados Unidos, mas veio para o Brasil aos quatro anos e aqui se radica. Segunda a publicação Quase Catálogo 3 – Estrelas do Cinema Mudo Brasil 1908-1930, organizado por Heloísa Buarque de Hollanda, ela começou a carreira de atriz no teatro ainda muito jovem, na Companhia de Lucinda, e foi também aluna da escola de bailados do Teatro Municipal, entre 1913 e 1914. Depois de atuar em comercial, estreia no cinema em Amor e boemia (1918), dirigido por Eduardo Arouca. No ano seguinte, atua em Alma sertaneja (1919), dirigido por Luiz de Barros, cineasta que vai dirigir seus outros trabalhos. No filme, a atriz é Rosinha, segundo papel feminino, em trama protagonizada por Álvaro Fonseca e Otília Amorim.
Antonia Denegri é Jandira em Ubirajara (1919), uma adaptação do romance homônimo de José de Alencar, dirigida por Luiz de Barros. O filme trata dos embates entre duas tribos, Araguaias e Tocantis, a partir do líder dos araguaias Ubirajara (Álvaro Fonseca), que é noivo de Jandira, mas se apaixona por Araci (Otília Amorim), filha do inimigo. A atriz atua em mais dois filmes: Coração de gaúcho (1920), de Luiz de Barros; e O cavaleiro negro (1922), em que faz a protagonista ao lado de Álvaro Fonseca, também dirigido por Luiz de Barros. Antonia Denegri morre prematuramente aos 35 anos.


Filmografia

Amor e boemia, 1918, Eduardo Arouca
Alma sertaneja, 1919, Luiz de Barros
Ubirajara, 1919, Luiz de Barrros
Coração de gaúcho, 1920, Luiz de Barros
O cavaleiro negro, 1922, Luiz de Barros

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.