Ano 15

Natália Lorda

*26 de agosto de 1974 - *La Plata - Argentina

Cena de Garotas do abc (a frente), 2003, Carlos Reinchenbach
Cena de Garotas do abc (a frente), 2003, Carlos Reinchenbach
Natália Lorda é ótima presença em filmes de Carlos Reichenbach.

Natália Lorda tem formação em teatro na EAD – Escola de Arte Dramática, da USP. Desenvolve atuante carreira no teatro – Tio Vânia e O macaco peludo, ambas dirigidas por Celso Frateschi; Farsas e improvisos de Moliére, de Beth Lopes; Luzes da Bohemia, de William Pereira; Improviso para clows e guitarras, de Cristiane Paoli-Quito, Ifigenia em aulis, de René Piazentin; e Roma de hospital, de Luís Damasceno, são alguns dos seus trabalhos nos palcos, onde tem também espetáculos como diretora. A estreia no cinema é no curta Ciranda, de Gabriela Ribeiro. Já em longas, atua em dois filmes dirigidos pelo saudoso cineasta Carlos Reichenbach: Garotas do ABC – Aurélia Schwarznega (2003) e Bens confiscados (2004).

Natália Lorda é Paula Nélson em Garotas do ABC, líder das operárias da indústria têxtil que movimenta a história, protagonizada por Michelle Valle, a Aurélia do subtítulo do filme, mas que também abre espaço para outras personagens que integram o grupo que convive com a protagonista. Já em Bens confiscados é Vivian Caledônia na trama protagonizada por Betty Faria – também coprodutora do filme -, como a enfermeira Serena, uma mulher que fora amante de um senador corrupto e agora, a pedido dele, cuida do seu filho em um momento de escândalo político. Em Bens confiscados, além da atuação, ela participou também da equipe técnica preparando o ator Renan Augusto, que interpreta o protagonista masculino Luís Roberto, jovem filho do senador. A atriz atua ainda no curta Faça sua escolha (2005), de Paulo Miranda, como Cristina, e no longa Bodas de papel (2006), de André Sturm, como Luísa Ortega.


Filmografia

Ciranda, curta, Gabriela Ribeiro
Garotas do ABC Aurélia Schwarznega, 2003, Carlos Reichenbach
Bens confiscados, 2004, Carlos Reichenbach
Faça sua escolha, 2005, curta, Paulo Miranda
Bodas de papel, 2006, André Sturm

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.