Ano 15

Rosa Maria Antuña Martins

813 de julho de 1939 - Belo Horizonte - MG

Acervo Pessoal
Acervo Pessoal
Rosa Maria Antuña Martins nasceu em Belo Horizonte (MG), no dia 13 de julho de 1939.

A formação é em Biblioteconomia e também na Escola Superior de Cinema, da Universidade Católica.
Na época, convive com duas personalidades importantes do cinema na capital mineira: o cineasta e professor José Américo, que foi seu colega na época, e o professor José Tavares de Barros, que foi seu professor no curso de cinema.

Rosa Maria Antuña  Martins é uma das mulheres pioneiras na direção de filmes em Belo Horizonte – Maria Aparecida Mattos de Paiva, com o curta Pesquisa do urânio (1968), em Belo Horizonte; e Maria José Rago Campos, com o curta Mulher & pedras (1968), em Ouro Preto, são outros nomes em Minas Gerais.

Na década de 1960, ela roteirizou e dirigiu dois curtas: Rosa rosae (1968) e Solo (1969).

Dirigido em 1968, Rosa rosae, com duração de 5 minutos, tem um acento forte de crítica social no encontro entre um mendigo e uma mulher. 

Protagoniza por Zulma Drummond e Sebastião Schimidt, o filme é bem recebido pela comunidade estudantil da época.

A apreciação por temas contundentes continua, e em 1969 ela dirige Solo, curta de 1min e 12 segundos. 

Solo é sobre o erotismo de uma mulher de meia idade, solitária, em meio a um ambiente católico.

Protagonizado por Irene, uma prostituta de São João Del Rei, o filme foi exibido no Festival JB Mesbla, em Belo Horizonte e em cidades de outros estados.

Depois de realizar esses dois curtas, Rosa Maria Antuña Martins abandona o cinema. 

Veja também sobre ela
::Voltar
Sala 
 Ana Carolina
Cineasta de assinatura personalíssima e de filmografia inquietante.