Ano 15

Suely Franco

*16 de outubro de 1939 - *Rio de Janeiro - RJ

Cena de Querido estranho, 2002, Ricardo Pinto e Silva
Cena de Querido estranho, 2002, Ricardo Pinto e Silva
Suely Franco é Roma em Querido estranho.

Suely Franco começou a carreira artística ainda na infância: estuda piano, apresenta-se no teatro da escola, participa de teatro infantil na Rádio Roquete Pinto, e depois, na adolescência, estreia no teatro amador, no qual também dirige. Mas tudo era feito ainda informalmente, pois não pensava em ser atriz. As coisas mudam quando integra o Teatro do Estudante, de Paschoal Carlos Magno, em que fica pouco tempo, e torna-se garota propaganda no programa de Jacy Campos na TV Tupi,  chegando depois aos teleteatros da emissora. Atua em muitas novelas: Simplesmente Maria (1969), Rosa dos ventos (1973), O espigão (1974) – em que tem grande destaque como Cordélia Fontana -, Estúpido cupido (1976), Mulheres de areia (1993) e O cravo e a rosa (2000) são alguns sucessos - interpreta também Dona Benta em uma das versões de Sítio do pica-pau amarelo (2005/2006). A estreia no teatro é fazendo uma substituição em Com a pulga atrás da orelha (1961), no Teatro dos Sete, companhia teatral formada, entre outros, por Sérgio Britto e Fernanda Montenegro – já participando originalmente do elenco é em O beijo no asfalto (1961), no mesmo grupo. Depois atua em vários musicais, ganha o prêmio Moliere – por A capital federal – e constrói importante carreira nos palcos, em peças como Fala baixo senão eu grito (1979), Trair e coçar é só começar (1987) e Somos irmãs (1998).  A estreia no cinema ocorre em Dois na lona (1968), de Carlos Alberto de Souza Barros, e em Quatro contra o mundo, no episódio O anjo, com direção de Silvio Autuori (1961/70).

Suely Franco é Lazinha em Motel (1975), filme dirigido por Alcino Diniz com vários personagens que se encontram no local do título e no qual ela e Gustavo, interpretado por Jayme Barcellos, formam um casal que utiliza artifícios para a realização sexual. Depois é dirigida por Iberê Cavalcanti em Corpo a corpo, todos os sonhos do mundo (1984). A atriz fica anos longe das telas e só retorna em Minha vida em suas mãos (2001), filme de José Francisco Garcia protagonizado por Maria Zilda Bethlen. O grande personagem no cinema é em Querido estranho (2002), adaptação da peça Intensa magia, de Maria Adelaide Amaral, dirigida por Ricardo Pinto e Silva. No filme ela é Roma, a esposa de Alberto, protagonista interpretado por Daniel Filho. Suely Franco atua ainda em filmes de Luiz Villaça, Jorge Moreno, Cláudio Torres, Jorge Moreno, Thiago Silva, André Alves Pinto e César Rodrigues, e André Pellenz.


Filmografia

Dois na lona, 1968, Carlos Alberto de Souza Barros
Quatro contra o mundo, episódio O ano, 1961/1970, Sílvio Autuori
Motel, 1975, Alcino Diniz
Corpo a corpo, todos os sonhos do mundo, 1984, Iberê Cavalcanti
Minha vida em suas mãos, 2001, José Antônio Garcia
Querido estranho, 2002, Ricardo Pinto e Silva
Cristina quer casar, 2003, Luiz Villaça
Redentor, 2004, Cláudio Torres
Acredite, um espírito baixou em mim, 2006, Jorge Moreno
Fantasmas do passado, 2010, curta, Thiago Silva
Uma professora muito maluquinha, 2011, André Alves Pinto e César Rodrigues
Minha mãe é uma peça, 2013, André Pellenz

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.