Ano 15

Margarida Rey

*17 de janeiro de 1922, +19 de novembro de 1983 - *Santos – SP

Cena de Os inconfidentes, 1972, Joaquim Pedro de Andrade
Cena de Os inconfidentes, 1972, Joaquim Pedro de Andrade
Margarida Rey atuou em Os inconfidentes.

Margarida Rey começou a carreira no teatro, espaço primordial de sua carreira artística. A estreia nos palcos se dá em A rainha morta, em 1946, no grupo Os Comediantes, com direção de Ziembinski. Começa aí importante trajetória teatral com grandes atuações em várias companhias, como o TBC e a Tônia-Celi-Autran. Desejo, Medéia, Uma rua chamada pecado, De amor também se morre, A falecida Mrs. Black e A Ilha das cabras - por essas duas recebeu o prêmio Saci -, são alguns de seus sucessos. A estreia na televisão ocorre no Grande Teatro Tupi, e depois atua em novelas como Super plá (1969/70), como Guilhermina, Bandeira 2 (1971/72), como Anunciata, e em Sem lenço, sem documento (1977/78), como Margot. A atriz estreia no cinema em Alegria de viver (1958), dirigido por Watson Macedo e protagonizado por Eliana e John Herbert.

Margarida Rey atua no ótimo Porto das caixas (1962), filme que marca a estreia na direção de longas de Paulo César Saraceni, um dos mais talentosos integrantes do Cinema Novo. E é com o parceiro do movimento, o não menos talentoso Joaquim Pedro de Andrade, que atuará em seu segundo filme, Os inconfidentes (1972). No longa, que aborda a Inconfidência Mineira, Margarida Rey interpreta a Rainha Maria I de Portugal. 


Filmografia

Alegria de viver, 1958, Watson Macedo
Porto das caixas, 1962, Paulo César Saraceni
Os inconfidentes, 1972, Joaquim Pedro de Andrade

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.