Ano 15

Nara Leão

*19 de janeiro de 1942, +7 de junho de 1989 - *Vitória – ES

Cena de Quando o carnaval chegar, 1972, Carlos Diegues
Cena de Quando o carnaval chegar, 1972, Carlos Diegues
Nara Leão é Mimi em Quando o carnaval chegar.

Nara Leão é uma das mais importantes cantoras brasileiras de todos os tempos. No apartamento de seus pais é que se reuniam vários músicos que lançariam depois o movimento Bossa Nova, do qual se tornou musa. Mas Nara não se deixou aprisionar em rótulos e por isso circulou por vários estilos musicais: fez história cantando samba do morro e a música nordestina no show Opinião, ao lado de Zé Kéti e João do Vale - e que revelaria para o país o talento de Maria Bethânia, que a substituiu; ao lançar Chico Buarque como compositor; ao participar do movimento Tropicalista; ao dedicar disco inteiro à obra de Roberto e Erasmo Carlos; entre outros caminhos que seguiu. A cantora foi casada com o cineasta Carlos Diegues e marcou presença em filmes do diretor, seja cantando ou atuando: Ganga Zumba (1964), Os herdeiros (1970) e Quando o carnaval chegar (1972). Em Garota de Ipanema (1967), de Leon Hirszman, canta Lamento do morro, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes. O desafio (1965), de Paulo César Saraceni, Onde a terra começa (1966), de Ruy Santos, As moças daquela hora (1974), de Paulo Porto, e Um homem célebre (1974), de Miguel Faria Jr., são outros filmes que constam em sua filmografia.

Nara Leão tem dois grandes momentos no cinema brasileiro. O primeiro, e mais importante, é como uma dos protagonistas, ao lado de Maria Bethânia e de Chico Buarque, do musical Quando o carnaval chegar (1972), de Carlos Diegues. Os três integram uma trupe mambembe formada ainda por Hugo Carvana, Antônio Pitanga e Ana Maria Magalhães, em que ela interpreta Mimi, a romântica e nostálgica personagem apaixonada por Paulo, interpretado por Chico. Além de atuar como atriz, ela também canta no filme em momentos memoráveis, como na pungente interpretação da canção Soneto, de Chico, e ao lado dele e de Bethânia na música Cantores do rádio, de Braguinha.  Já o segundo é uma breve, mas marcante, aparição em A lira do delírio (1973/1978), de Walter Lima Jr., como uma dos foliões de carnaval que protagonizam a trama, ainda que sua participação só aconteça no prólogo. E é ali que protagoniza cena surpreendente ao dar um beijo na boca da protagonista interpretada pela saudosa Anecy Rocha, seguido de uma risada zombeteira das duas. Ótimo momento desse filme libertário e arrebatador.


Filmografia

Ganga zumba, 1964, Carlos Diegues
O desafio, 1965, Paulo César Saraceni
Onde a terra começa, 1966, Ruy Santos
Garota de Ipanema, 1967, Leon Hirszman
Os herdeiros, 1970, Carlos Diegues
Quando o carnaval chegar, 1972, Carlos Diegues
A lira do delírio, 1973/1978, Walter Lima Jr.
As moças daquela hora, 1974, Paulo Porto
Um homem célebre, 1974, Miguel Faria Jr.

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.